A área industrial pode contribuir para que a cana possa mais?

Aumentar a produtividade e reduzir custos: essa é a meta do setor sucroenergético. A área agrícola é responsável por 60% dos custos de produção, por isso, que os maiores ajustes devem vir do campo, mas a área industrial também pode cooperar para melhorar o desempenho da cana. É sobre isso que Thais Fernanda Pedroso, encarregada de laboratório da Companhia Müller de Bebidas, falará no IV Encontro Cana Substantivo Feminino, que acontece em 12 de março de 2015 no Centro de Cana do IAC.

Thais já atuou em unidades sucroenergéticas e integra o Gegis – Grupo de Estudos em Gestão Industrial do Setor Sucroalcooleiro – e dividirá a mesa com: - Cristiane Pigatto, gerente Financeira do Grupo São Martinho; Maria do Carmo Ferrante, chefe do setor de açúcar do Rabobank para as Américas; Monalisa Sampaio, doutora em Genética e Melhoramento dePlantas e vice-coordenadora da pós-graduação em Produção Vegetal e Bioprocessos Associados da UFSCar; Raffaella Rossetto, doutora em Solos e Nutrição de Plantas, diretora Técnica da Divisão APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios; Patrícia Fontoura, supervisora de Planejamento e Desenvolvimento agrícola da SJC Bioenergia, Quirinópolis, GO; Renata Morelli, gerente de tecnologia agrícola e inovação da Coplana; Tereza Peixoto, diretora Agrícola da Biosev.

Fonte: Cana Substantivo Feminino