Açúcar bruto atinge máxima de mais de 4 anos na ICE, com pico de preços de energia
13-10-2021

O açúcar bruto para março ​​fechou em alta de 0,04 centavo de dólar (Imagem: Pixabay)
O açúcar bruto para março ​​fechou em alta de 0,04 centavo de dólar (Imagem: Pixabay)

Os contratos futuros do açúcar bruto na ICE atingiram uma máxima de 4 anos e meio nesta segunda-feira, uma vez que os preços de energia continuaram subindo, ainda com efeito do movimento da Petrobras (PETR4) para aumentar os preços do etanol em quase 7% na semana passada.

Por Reuters

O aumento dos preços da energia leva as usinas de cana-de-açúcar no Brasil a aumentar a produção do biocombustível etanol de cana às custas do açúcar.

Enquanto isso, os futuros do café arábica subiram na sessão.

Açúcar

O açúcar bruto para março fechou em alta de 0,04 centavo de dólar, ou 0,2%, em 20,33 centavos de dólar por libra-peso, tocando 20,61 centavos de dólar por libra-peso na sessão, a sua máxima desde fevereiro de 2017.

Os futuros do petróleo dos EUA atingiram máximas de sete anos anteriormente, com uma crise de energia que atinge as principais economias não mostrando sinais de abrandamento.

A Alvean, maior trader de açúcar do mundo, acredita que a demanda aumentará nos próximos meses, uma vez que os países consumidores têm usado a maior parte de seus estoques disponíveis.

“O mercado (de açúcar) está apertado, mas suficientemente abastecido para o próximo ano, mas depois disso parece estar em déficit – e déficit extremo se sofrermos mais surpresas climáticas”, disse a corretora Marex Spectron.

Os especuladores de açúcar cortaram sua posição comprada líquida em 452 contratos, para 162.845 na semana até 5 de outubro, mostraram dados da CFTC.

O açúcar branco para dezembro fechou em alta de 2,20 dólares, ou 0,4%, em 521,90 dólares a tonelada.

Café

O café arábica para dezembro fechou em alta de 2,9 centavos de dólar, ou 1,4%, em 2,0425 dólares por libra-peso, com fechamento em alta de 1,7% na sexta-feira.

Os cafeicultores da Colômbia, segundo maior produtor mundial de arábica, não entregaram cerca de 1 milhão de sacas de grãos este ano, ou quase 10% da safra do país, deixando exportadores, comerciantes e torrefadores enfrentando grandes perdas, disseram fontes da indústria à Reuters.

Os especuladores de arábica aumentaram sua posição comprada líquida em 2.428 contratos, para 43.940 na semana encerrada em 5 de outubro.

O café robusta para novembro fechou em queda de 18 dólares, ou 0,9%, em 2.099 dólares a tonelada.

Do site: Money Times