Açúcar: contratos futuros fecham em alta pelo 3º dia seguido nas bolsas internacionais
24-09-2021

Os contratos futuros do açúcar fecharam a quinta-feira (23) em alta nas bolsas internacionais. Segundo analistas ouvidos pela Reuters, o mercado continuou a ser fortemente influenciado pelas tendências nos mercados financeiros mais amplos, na ausência de qualquer grande desenvolvimento relacionado ao açúcar.

Em Nova York, na ICE, os contratos fecharam valorizados pelo terceiro dia seguido. O lote outubro/21, que expira no próximo dia 30 de setembro, foi contratado a 19,49 centavos de dólar por libra-peso, alta de 16 pontos no comparativo com a véspera. Já a tela março/22 foi contratada a 20,29 cts/lb, 22 pontos a mais que a quarta-feira. Os demais lotes subiram entre 19 e 28 pontos.

Ainda segundo a Reuters, os contratos em aberto (no vencimento outubro/21 da ICE) são menores do que neste período no ano passado em cerca de 80 mil lotes. "No momento, a entrega parece estar relativamente baixa e bem abaixo dos 2,62 milhões de toneladas entregues no ano passado", disse um corretor.

Açúcar branco

Em Londres, na ICE Europe, o dia também foi marcado por valorização em todos os lotes. O vencimento dezembro/21 foi contratado a US$ 513,40 a tonelada, alta de 5,20 dólares, ou 1%, no comparativo com os preços do dia anterior. Já a tela março/22 subiu 4,20 dólares, negociada em 516,60 dólares a tonelada. Os demais contratos fecharam valorizados entre 3,90 e 5 dólares.

"Acredita-se que a agência comercial estatal do Paquistão TCP não tenha feito nenhuma compra em uma licitação internacional de 200 mil toneladas de açúcar branco, que foi fechada esta semana, disseram traders europeus nesta quinta-feira", trouxe a Reuters.

Açúcar cristal

No mercado doméstico o açúcar cristal fechou ontem valorizado pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos foi negociada pelas usinas em R$ 145,46, contra R$ 143,81 da véspera, valorização de 1,15% no comparativo.

Etanol hidratado

Quinta-feira de recuperação nos preços do etanol hidratado medidos pelo Indicador Diário Paulínia. Ontem, o biocombustível foi negociado pelas usinas em R$ 3.362,50 o m³, contra R$ 3.346,00 o m³ da véspera, alta de 0,49% no comparativo entre os dias. No mês o indicador acumula variação positiva de 2,45%.

Rogério Mian

Fonte: Agência UDOP de Notícias