Agroquatro-S realiza avaliação sobre o desenvolvimento radicular e distribuição de raízes no perfil do solo em cana soca de 2º corte
22-06-2022

Sérgio conta que o preparo convencional não foi o que trouxe maior produtividade tão pouco maior desenvolvimento radicular
Sérgio conta que o preparo convencional não foi o que trouxe maior produtividade tão pouco maior desenvolvimento radicular

O experimento é inédito no Brasil por aliar produtividade, desenvolvimento do sistema radicular em diferentes tipos de preparo do solo na reforma do canavial

Localizada em Salles de Oliveira, no interior paulista, a Agroquatro-S Experimentação Agronômica Aplicada é uma fazenda diferente, além do cultivo da cana, é um campo de pesquisa de práticas para a obtenção de canavial com alto desempenho. A família Quassi de Castro é formada por pesquisadores que produzem cana em uma área de 1200 hectares arrendados, o que exige ainda mais a obtenção de canaviais produtivos por muitos cortes.

 Equipe Agroquatro-S coloca a mão na massa

Para alcançar o objetivo, a família emprega boas práticas de produção, o uso de tecnologias inovadoras e realiza estudos para avaliar o desempenho de insumos agrícolas e avaliar a resposta da cana aos diferentes tipos de manejo.

Esta semana, a Agroquatro-S está avaliando o desenvolvimento radicular e a distribuição de raízes no perfil do solo em cana soca (2°corte). O produtor e pesquisador Sérgio Quassi de Castro salienta que o experimento é inédito no Brasil por aliar produtividade, desenvolvimento do sistema radicular em diferentes tipos de preparo do solo na reforma do canavial.

Em relação à avaliação, Sérgio conta que o preparo convencional não foi o que trouxe maior produtividade tão pouco maior desenvolvimento radicular. “O plantio direto associado ao plantio mecanizado e sulcação profunda nesse tipo de solo tem apresentado grandes resultados, seja em produtividade como na distribuição radicular”, observa.

Sérgio salienta que, em segundo corte, após 2 anos do plantio, foi possível encontrar resquícios de óxido de cálcio aplicado no sulco de plantio. “De acordo com as amostragens, é nítido a maior densidade do solo na entrelinha e um solo menos denso e apto a desenvolver raiz na linha da cana. Daí a importância de controlar tráfego e velocidade de colheita.”

O estudo tem o apoio da DMB Máquinas e Implementos Agrícolas, a família Quassi de Castro agradece a empresa por investir em pesquisa e acreditar no trabalho da Agroquatro-S Experimentação Agronômica Aplicada

#pesquisanossoDNA

Crédito fotos: Agroquatro-S
Fonte: CanaOnline com informações de Sérgio Quassi de Castro