Bunge anuncia reestruturação e líder da América do Sul ganha espaço
10-05-2019

 

Duas semanas após confirmar o interino Gregory Heckman como CEO, a americana Bunge, uma das maiores empresas de agronegócios do mundo, anunciou uma reorganização. Em comunicado, a múlti informou que o argentino Raul Padilla, presidente para a América do Sul e líder global da área de açúcar e bioenergia, foi nomeado presidente de operações globais. Padilla passou os últimos anos radicado no Brasil, maior operação da companhia.

Ficará sob responsabilidade do executivo argentino, que continuará à frente do segmento sucroalcooleiro, gerenciar os negócios de processamento de grãos. Christos Dimopoulos, presidente da divisão de agribusiness, foi escolhido para comandar as cadeias globais de suprimentos do grupo. Nessa função, liderará as cadeias de fornecimento de commodities físicas que suportam os ativos de processamento e será responsável pelos fluxos de comércio, frete e distribuição.

Pierre Mauger, presidente da Bunge para Europa e Ásia, será diretor de transformação, responsável pela melhoria e estratégia do portfólio. Todd Bastean, presidente para América do Norte, e Gordon Hardie, presidente da área de alimentos e ingredientes, se aposentarão. A Bunge comunicou, ainda, que o diretor financeiro Thomas Boehlert deixará a cadeira, assumida por John Neppl.

Apesar das mudanças, a Bunge manteve ativo um comitê de revisão estratégica - do qual o CEO Heckman faz parte - para explorar opções como a venda de ativos. Há anos a companhia tenta se desfazer da divisão de açúcar e bionergia, por exemplo. A ascensão de Heckman já aconteceu em meio à revisão estratégica, resultado das pressões de acionistas ativistas da Continental Grain e do fundo de hedge D.E. Shaw.

Valor Econômico