+Cana 4.0 eleva o patamar de produtividade
28-01-2019

+Cana 4.0 eleva o patamar de produtividade
+Cana 4.0 eleva o patamar de produtividade

Produtores dominam a tecnologia da MPB e tornam-se viveiristas credenciados pelo Ministério da Agricultura

No dia 31 de janeiro, ocorre o lançamento de mais uma fase do consagrado programa +Cana, a versão 4.0, uma parceria entre Coplana (Cooperativa Agroindustrial), Socicana (Associação dos Fornecedores de Cana de Guariba) e IAC (Instituto Agronômico), que resultou em uma mudança de paradigma no plantio.

A iniciativa leva a tecnologia desenvolvida nos centros de pesquisa para a ponta da cadeia produtiva. Com o uso de MPB, Muda Pré-Brotada, independente do tamanho da propriedade, o agricultor pode produzir sua própria muda, utilizar variedades novas, mais produtivas e adaptadas ao seu ambiente de produção.

Os Produtores Polos participarão de oficinas e serão acompanhados por pesquisadores do IAC e do Centro de Cana de Ribeirão Preto. O diretor do Centro de Cana, Dr. Marcos Landell, lembra que o +Cana tem sido uma importante ferramenta para a adoção de novos conceitos de produção. “Entre eles, a inclusão de novas variedades com maior potencial; canas com maior população de colmos, que conseguem perfilhar mais e, com isto, gerar uma expectativa de maior longevidade dos canaviais. Estas variedades são também mais adaptadas ao plantio e à colheita mecânica", explicou. O pesquisador completa que o programa está sendo aplicado com grande sucesso em várias regiões do Brasil. “A ideia é que o +Cana 4.0 tenha maior poder de capilaridade no âmbito da Cooperativa e da Associação, possibilitando alcançar maior número de produtores e, assim, promover a verticalização de suas produtividades agrícolas, tornando-os mais sustentáveis.”

O vice-diretor do Centro de Cana/IAC, Dr. Mauro Xavier, ressalta o valor da interatividade. “Este projeto permitiu trazer o produtor para a instituição de pesquisa e levar o pesquisador para dentro da propriedade agrícola, onde de fato as coisas acontecem. O ponto forte é entregar a capacitação para o produtor fazer a gestão de seu material de propagação, mantendo a qualidade no processo e abrindo diversas outras perspectivas de desdobramento das tecnologias. Isso é fundamental, o produtor entender que ele pode resgatar a gestão sobre algumas etapas importantes do processo de produção de cana-de-açúcar.”

Uso da tecnologia é vital para Socicana e Coplana

O superintendente da Socicana, Rafael Bordonal Kalaki, vislumbra impactos positivos a partir de uma tecnologia acessível a todos. “A principal vantagem técnica do +Cana é o conhecimento técnico que o produtor irá adquirir durante o programa para desenvolver suas próprias mudas, além do acesso a novas variedades promissoras. A produção de MPB pode ser uma ferramenta para pequenos, médios e grandes produtores. Com poucos investimentos, é possível produzir a MPB, montar seu viveiro primário e até comercializar as mudas.

Para Pablo Silva, gestor do departamento de Tecnologia Agrícola e Inovação da Coplana, o programa pode mudar completamente os resultados do canavicultor. “Temos pequenos produtores que passaram a contar com um novo segmento de negócio, verticalizando a produção, tornando-se viveiristas licenciados e credenciados, aptos à comercialização de MPB. Há médios e grandes produtores que compravam mudas, plantavam no sistema convencional ou mecanizado, e passaram a realizar o plantio de MPB no sistema de meiosi, com altas taxas de multiplicação, reduzindo drasticamente o custo de implantação de um novo canavial.” Ele comenta ainda sobre as novidades da atual edição. “Temos novas cultivares do IAC de destaque, a integração das melhores práticas das edições anteriores e a socialização do modelo, pois estamos nos preparando para atender até 50 novos Polos Produtores, portanto em uma abrangência muito maior” conclui.

Opinião de produtores que já participam

“Este programa trouxe para dentro da nossa propriedade os maiores profissionais da canavicultura do País. Com isso, foi inevitável a inclusão de muitas técnicas, o que trouxe um grande aumento de produtividade. Nós conseguimos dominar a técnica de produção de MPB e nos tornamos viveiristas credenciados pelo Ministério da Agricultura.” Renato Trevizoli

“Com este programa, nós conseguimos a certificação Bonsucro, que tem como premissa boas práticas sociais e sustentáveis.” Marisa Trevizoli

“Participamos de uma etapa anterior, quando adquirimos mudas certificadas das instituições detentoras de novas variedades, que foram fundamentais para formação de nossos viveiros. É extremamente gratificante fazer parte dessa nova onda comercializando mudas sadias. Agora, como viveiristas certificados pelo Ministério da Agricultura, conseguiremos prover essas variedades modernas aos produtores para terem acesso a materiais que mudarão o cenário produtivo de seus canaviais com tecnologia e sanidade.” Rodrigo Spina

“O +Cana foi um dos melhores projetos que a Coplana e a Socicana já fizeram. Fiz parte da primeira etapa, e todos os produtores que como eu participaram deste projeto tiveram uma vantagem muito significativa, uma vez que podemos ter muitas variedades de cana, que eram testadas em usinas e hoje o são dentro da própria fazenda.” Ricardo Bellodi Bueno

“O +Cana foi um marco divisório na fazenda e na minha vida como produtor. Trouxe uma capacitação enorme, ferramentas que nós não encontramos em lugar nenhum, e não é à toa que o +Cana ganhou um prêmio nacional, reconhecimento de tudo que vivenciamos: a parte técnica, a teoria sobre mudas, nutrição, pragas e tudo o que está envolvido na produção de cana.” Rogério Consoni

“O projeto foi fundamental para os produtores, fazendo com que tivessem acesso a novas variedades de cana, aumentando a produtividade. Faço parte do projeto piloto, a primeira onda. Hoje, 100% das minhas mudas são provenientes do +Cana.” Sérgio Pavani

“Eu participo desde a primeira fase e o considero muito interessante. Proporcionou o acesso a novas tecnologias de plantio, novas variedades de mudas, uma propagação de variedades com rapidez muito maior da que eu tinha antes, sem contar a capacitação técnica dos nossos funcionários pelo IAC.” Francisco Antonio de Laurentiis Filho

Fonte: Assessoria de Imprensa da Socicana