Casa Agrícola Alexandre Relvas já nasceu sustentávelvoltar

Publicado em : 20/10/2017
Casa Agrícola Alexandre Relvas já nasceu sustentável
Ovelhas pastam em vinhedo da Herdade da Pimenta, nutrindo o solo e reduzindo a quantidade de aplicação de herbicidas para o controle de daninhas. Crédito: CAAR

Continuando nossa viagem para conhecer algumas das vinícolas que aderiram ao Plano de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo, dessa vez saímos de Évora, nossa fantástica base na região do Alentejo, em Portugal, e seguimos caminho para o concelho de Redondo. A visita era na Casa Agrícola Alexandre Relvas (CAAR), que conta com duas vinhas - Herdade de São Miguel e Herdade da Pimenta, nelas estão instaladas as duas adegas da empresa.

Diferentemente da maioria das vinícolas portuguesas que têm uma história antiga, até centenária, relacionada à produção de vinho, a CAAR é jovem, teve início em 1997. A adega da Herdade de São Miguel foi construída em 2003. Em 2011, adquiriram a Herdade da Pimenta, considerada uma das mais modernas de Portugal. E foi essa a impressão que tivemos logo ao chegarmos e nos depararmos com um prédiorevestido de cortiça, a casca retirada do sobreiro, encontrada na floresta de montado, bioma típico da região. A cortiça favorece o isolamento térmico, é renovável e biodegradável, pontos favoráveis à sustentabilidade.

Fomos recebidas por Joana Queiroz, responsável pela área de Enoturismo na Alexandre Relvas. O setor de atendimento aos turistas foi estruturadopela empresa em 2016 e se apresenta como uma boa estratégia, tanto que será ampliada, contará com opções como o pisar da uva em um lagar (local de recebimento das uvas), na época da vindima.

No trajeto pela Herdade da Pimenta encontramos várias mensagens tipo: “Apague a luz. Poupe Energia”, ou “Feche a água.Cada gota conta”. Essas informações fazem parte do Plano de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo. São simples, mas fazem a diferença, quando associadas àoutras medidas como a redução do diâmetro das mangueiras e reutilização da água de lavagem das cubas, permitindo à Herdade da Pimenta reduzir em 30% o consumo total de água.

Joana levou-nos à adega que apresenta tecnologia de ponta, que possibilitatemperaturas constantes a cada uma das fases da produção,nos apresentou filas de grandes cubas de alumínio com o vinho em diferentes estágios e a sala das barricas onde os vinhos descansam.
Descobrimos que mesmo utilizando a tecnologia mais moderna para a produção do vinho, a Alexandre Relvas tem todo o cuidado em manter as tradições portuguesas vivas, por exemplo, produz o vinho de talha. Método milenar no Alentejo, onde a uva fermenta em uma ânfora de barro, veja no vídeo. No meio de toda a modernidade da Herdade da Pimenta, degustamos o vinho de talha, e ao saborearmos aquele produto tão natural, tivemos a sensação de voltar à época dos romanos.

A preservação da cultura lusitana pela empresa não se resume à produção do vinho de talha. É o que destacou o enólogo Alexandre Relvas, filho do empresário. Segundo ele, embora recorram à vinificação de castas globais, tentam ano após ano selecionar castas de origem portuguesa, como Aragonez, Trincadeira...
Para produzir vinhos com qualidade, merecedores de muitos prêmios, a CAAR, tem a sustentabilidade como base de sua gestão, observa Alexandre. No pilar ambiental, em suas propriedades já reflorestou 730 hectares (ha). Desde 2006 foram plantadas mais de 120 mil árvoressobreiros em sua grande maioria. Em Portugal, a floresta de sobreiros absorve por ano, 4,5 milhões de toneladas de dióxido de carbono, e quando retirada a cortiça, a capacidade de absorção aumenta de 3 a 5 vezes.


A Alexandre Relvas desenvolve criação de rebanho de ovelhas merino, uma raça nativa da Península Ibérica. Durante seis meses do ano, as ovelhas pastam nas vinhas, o que permite diminuir a utilização de herbicida para o controle de plantas daninhas e ainda fertilizam o solo. O restante do ano, o rebanho pasta na floresta, ajudando a reduzir a incidência de incêndios.

A herdade de São Miguel possui cerca de 175 ha de área total, dos quais 35 são de vinha, 97 de sobreiro e o restante destina-se à criação e preservação de espécies nativas portuguesas em vias de extinção, tais como o 'burro de Mirandela' e o 'garrano do Gerês', animais muito utilizados na realização das operações agrícolas e que hoje estão em extinção devido a mecanização da agricultura. A Herdade da Pimenta possui 170 ha, a vinha ocupa 65 ha, 10 dos quais em campo experimental. O restante se destina à criação de ovelhas Merino Branco e Cavalos de Desporto.

Veja matéria completa na editoria O Agro pelo Mundo, na edição 46 da revista Digital CanaOnline. No site www.canaonline.com.br você pode visualizar as edições da revista ou baixar grátis o pdf.
Mas se quiser ver a edição com muito mais interatividade ou tê-la à disposição no celular, baixe GRÁTIS o aplicativo CanaOnline para tablets e smartphones - Android ou IOS.


Fonte: CanaOnline
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •