Copersucar divulga resultado da Safra 2021/2022
23-06-2022

Clique para visualizar: Ribeirão Preto - Terminal da Copersucar em Ribeirão Preto tem pera ferroviária com capacidade para 89 vagões (Foto: Na Lata)
Clique para visualizar: Ribeirão Preto - Terminal da Copersucar em Ribeirão Preto tem pera ferroviária com capacidade para 89 vagões (Foto: Na Lata)

Na terça-feira, 21 de junho, o presidente da Copersucar, Tomás Manzano, conduziu o encontro anual da companhia com instituições financeiras e seguradoras, em que apresentou os resultados da Safra 2021/2022 (confira os principais números no infográfico abaixo). O executivo destacou os números alcançados pela empresa em um dos anos mais desafiadores para o mercado. Ao final do dia, foi a vez dos colaboradores conhecerem de perto os resultados da Safra 21/22.


Resultados

A Copersucar registrou lucro líquido de R$ 781 milhões, ante os R$ 375 milhões da safra anterior, o faturamento foi de R$ 75,1 bilhões, quase o dobro do alcançado na Safra 20/21, de R$ 38,7 bilhões.

O endividamento consolidado do grupo foi zerado no período, frente a R$ 1,25 bilhão registrado no ciclo produtivo anterior. Isso foi possível em razão da consolidação acionária de 100% da Alvean, concluída em 2021, e do ótimo resultado do fluxo de caixa líquido e de estoques durante a Safra 21/22.

“Foi um ano especialmente desafiador, de grande volatilidade em todos os aspectos, mas fizemos avanços robustos a partir de investimentos estratégicos e planejamento de mercado, que nos permitiram superar as dificuldades”, disse o presidente durante a reunião, realizada de forma on-line.

Manzano destacou, ainda, que o desempenho na safra consolida a estratégia desenhada há mais de uma década pela companhia para conectar o campo ao mundo, a partir de um modelo de negócios único, que gera valor por meio de parcerias e soluções inovadoras. “A empresa está fortalecida para empreender em novos negócios e parcerias e reforçar sua relação com usinas produtoras”, frisou o executivo.

Para o presidente do Conselho de Administração da Copersucar, Luís Roberto Pogetti, a companhia avançou de forma relevante em seu projeto estratégico. “Consolidamos a nossa liderança no mercado de açúcar, assumindo 100% do controle acionário da Alvean, criamos a ECE, maior comercializadora de etanol do Brasil, em parceria com a Vibra Energia, ampliamos as operações de etanol da Eco-Energy nos Estados Unidos, com a construção de mais dois terminais de distribuição, e ampliamos a escala de acesso à produção de cana-de-açúcar no Brasil pela Copersucar, que passa a contar com 36 usinas sócias a partir da Safra 22/23”, ressalta.

Comércio e logística

A performance da companhia reflete o desempenho comercial e logístico, que contornou desafios complexos no período, como a deterioração do cenário macroeconômico mundial, complicações climáticas e o  novo aumento de casos de Covid-19, causado por novas variantes do novo coronavírus.

No setor de açúcar, por exemplo, a plataforma da Copersucar movimentou mais de 12 milhões de toneladas no mercado internacional. Com atuação em mais de 40 países, a Alvean manteve-se na liderança global. No mercado doméstico, a Copersucar ganhou participação, passando de 19% para 25% do mercado, com 2,1 milhões de toneladas comercializadas.

No mercado global de etanol, a plataforma Copersucar comercializou mais de 10 bilhões de litros, dos quais 4 bilhões foram vendidos no Brasil e 6 bilhões no mercado norte-americano, por meio da Eco-Energy. Vale destacar que a Eco-Energy ampliou a sua estrutura logística nos Estados Unidos, com a construção de um terminal em Phoenix (Arizona) e início das obras do terminal em Stockton (Califórnia), que irá totalizar 11 terminais próprios em 2022, quando estiver concluído.

A logística operou mais uma safra com plena utilização da capacidade instalada do Terminal Açucareiro Copersucar (TAC), em Santos (SP), totalizando 8,7 milhões de toneladas de vendas de serviços de elevação. Destaque no período para o maior carregamento de açúcar em um único navio já registrado no Brasil, com 109 mil toneladas embarcadas no graneleiro Cape Town, com destino à China, em agosto de 2021.

Com maior eficiência, a plataforma transportou a maior parte dos seus volumes de açúcar pelo modal ferroviário, que representou 59% das operações e promoveu redução relevante das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE).

 Sustentabilidade

Na Safra 2021/2022, a Copersucar foi líder nacional no mercado de créditos de descarbonização (CBios), com 9 milhões de títulos ofertados em dois anos. O resultado representa 16% de todas as escriturações (etanol e biodiesel) realizadas no Programa RenovaBio entre abril de 2020 e março de 2022. O resultado evitou a emissão de 9 milhões de toneladas de CO2, volume que equivale à captação feita por 63 milhões de árvores durante 20 anos.

Atualmente, as Usinas Sócias da Copersucar têm eficiência energética-ambiental 3,4% superior ao registrado pela média do conjunto de usinas certificadas no RenovaBio e, na safra passada, oito delas apresentaram evolução até 25% nas notas no Programa. Nos próximos anos, a Copersucar manterá o plano de reduzir a intensidade de carbono da sua cadeia de valor e ampliar seu diferencial em relação ao mercado.

Ainda com foco na redução das emissões de GEE em sua cadeia de valor, a Copersucar e as Usinas Sócias instituíram o grupo de trabalho permanente responsável pelo projeto Horizonte mais Verde menos CO2, que objetiva reduzir ainda mais a pegada de carbono em toda plataforma de negócios da companhia.

Relatório GRI

Durante o evento de apresentação de resultados para as instituições financeiras e seguradoras, a Copersucar também lançou seu Relato Integrado referente ao biênio 2020/2022. O material, desenvolvido de acordo com as normas da Global Reporting Initiative (GRI), tem o objetivo de detalhar a estratégia adotada pela companhia para a maximização dos benefícios econômicos, sociais e ambientais do açúcar e do etanol. Confira neste link.

 

Fonte: Copersucar