Empresas furam bloqueios e hidratado entra mais caro em semana que exigirá mais oferta
14-09-2021

Volume de moagem de cana abaixo de 2020 e anidro revigorado no consumo tiram produção do hidratado (Imagem: Reprodução/Adecoagro)
Volume de moagem de cana abaixo de 2020 e anidro revigorado no consumo tiram produção do hidratado (Imagem: Reprodução/Adecoagro)

A cadeia do etanol hidratado saiu de ganhos em semana de paralisação de rodovias, o que demonstra ter conseguido escoar o biocombustível, em menor quantidade que justificasse os aumentos.

Por Giovanni Lorenzon

As distribuidoras de combustíveis baseadas em Paulínia não divulgam dados semanais de vendas, mas repassaram altas diárias do etanol hidratado nos dois dias de bloqueio das rodovias pelos caminhoneiros.

Também segundo dados apurados pelo Cepea, as usinas também conseguiram um ganho, ainda que moderado, no acumulado da semana. Se se considerar que segunda e terça não houve negócios, pelo feriadão, a alta do biocombustível nas fábricas deu-se também pegando as paralisações.

As intermediárias venderam etanol a mais 0,66% e 0,64%, na quinta e sexta; as usinas reajustaram o litro a 0,37%, ficando em R$ 3,2365 (livre de frete), e somando às outras elevações dos preços nas semanas anteriores.

Em meio a cenário de produção menor – na 2ª quinzena de agosto, apenas a produção de anidro cresceu, seguindo padrão desta safra informado pela Unica -, e a menor disponibilidade nas distribuidoras e postos, elevam igualmente a possibilidade de altas nesta semana que começa.

 Fonte: Money Times