EUA apoia expansão de biocombustíveis
31-01-2019

EUA apoia expansão de biocombustíveis
EUA apoia expansão de biocombustíveis

Esta semana, a Growth Energy e o Conselho de Grãos dos EUA (USGC) apresentaram em conjunto comentários à província canadense de Ontário, apoiando a expansão da mistura de biocombustíveis sob o Plano Ambiental Made-in-Ontario . Os comentários aplaudem o compromisso de Ontário com a implementação de 15% de conteúdo renovável na gasolina até 2025 e destacam o sucesso do varejo de 15% de combustível misturado com etanol, ou E15.

“Por décadas, os produtores e produtores de etanol da América do Norte continuaram a se beneficiar das fronteiras livres de tarifas”, observaram os comentários. “Com uma cadeia de suprimentos norte-americana existente, Ontário pode ter certeza de que o aumento na demanda de uma mudança para 15% de etanol será atendido por esse mercado vibrante. Coletivamente, a indústria norte-americana está pronta para ajudar Ontário a alcançar seus objetivos ambiciosos.” metas climáticas e apoiar este ambicioso movimento provincial “.

Os comentários também agradeceram ao Ministério do Meio Ambiente de Ontário por levar em consideração os comentários enviados anteriormente , a partir de 2017 e 2018 , sobre os benefícios ambientais de misturas de etanol de maior nível, como E15, no plano. Isso oferece benefícios ambientais e econômicos para o povo de Ontário e ajudará o Canadá a atingir suas metas climáticas de longo prazo.

“Apreciamos o ministério levando em conta nossos comentários anteriores de março de 2017 e janeiro de 2018 e apoiamos firmemente a proposta de aumentar o teor de etanol da gasolina para 15% até 2025. Como observamos em nossos comentários anteriores, o aumento das concentrações de etanol no combustível apresenta tremendo benefícios para o público na forma de menores emissões de gases de efeito estufa, menores níveis de outros poluentes, melhores propriedades de combustível (queima mais limpa e mais fria) e benefícios econômicos para a economia agrícola crítica do Canadá, disseram Growth Energy e USGC.

Fonte: O Petróleo