Fenasucro & Agrocana confirma alta de 7% com R$ 4 bilhões negociados na 26ª ediçãovoltar

Publicado em : 27/08/2018
Fenasucro & Agrocana confirma alta de 7% com R$ 4 bilhões negociados na 26ª edição
Visitantes na 26ª Fenasucro & Agrocana em Sertãozinho, SP (Foto: Luciano Tolentino/EPTV)

O balanço parcial divulgado pela organização da Fenasucro & Agrocana, maior feira mundial do setor sucroenergético, aponta que a expectativa de aumentar em 7% o volume de negócios foi atingida na 26ª edição.

O diretor da feira, Paulo Montabone, afirma que os dados iniciais apontam que ao menos R$ 4 bilhões foram negociados nos quatro dias do evento em Sertãozinho (SP). O fechamento final será divulgado na próxima semana.

“Esses números são projetados através de pesquisas que fazemos com nossos expositores e conseguimos mensurar esse volume”, explica. “Toda a cadeia sucroenergética está reunida, desde o plantio até os subprodutos da cana, passando por toda a industrialização”, diz.

O valor supera, inclusive, tudo o que foi negociado na Agrishow 2018, a maior feira de tecnologia agrícola da América Latina, que movimentou R$ 2,7 bilhões, em maio deste ano, em Ribeirão Preto (SP).

Ao todo, a Fenasucro & Agrocana promoveu 127 reuniões entre empresários brasileiros. Já as rodadas internacionais de negócios contaram com a participação de 20 delegações em 350 encontros com fornecedores nacionais.

Compradores da Argentina, África do Sul, Belize, Cuba, Costa Rica, Equador, Guatemala, Peru e até do Sudão estiveram presentes na feira, que também contou com 350 horas de discussões, envolvendo 5 mil congressistas e 370 palestrantes.

“As usinas, as produtoras de bioenergia, açúcar e etanol vão até à feira para se atualizar, tanto nas horas de conteúdo, através de palestras, como também nos estandes, conhecendo as tecnologias que estão sendo lançadas, para a próxima safra”, diz Montabone.

A regulamentação da Política Nacional de Biocombustíveis, a chamada RenovaBio, foi a principal pauta da 26ª Fenasucro & Agrocana e impulsionou as vendas internas, já que prevê aumento na produção de etanol, com a elevação do percentual do biodiesel ao diesel comum.

Ao mesmo tempo, a expectativa de alta na produção e na utilização de bioenergia, também em decorrência da Renovabio, deve impulsionar a valorização da biomassa – utilização do bagaço de cana-de-açúcar para gerar eletricidade – no cenário nacional nos próximos anos.

Lâmpadas de led de longa durabilidade e uma microturbina que transforma resíduos orgânicos em energia elétrica foram apenas algumas das muitas novidades tecnológicas apresentadas durante a feira, que destacou soluções da chamada indústria 4.0.


Fonte: G1
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •