Foco na produção de etanol derruba exportações do setor sucroenergético paulistavoltar

Publicado em : 22/11/2018
Foco na produção de etanol derruba exportações do setor sucroenergético paulista

Mesmo com quebra de 40% nas exportações, complexo sucroenergéticolidera valor com exportações no agro paulista

As exportações paulistas somaram US$ 43,78 bilhões (22% do total nacional), nos dez primeiros meses de 2018; enquanto as importações atingiram US$ 51,57 bilhões (34,1% do total nacional), gerando um déficit de US$ 7,79 bilhões, informa o Instituto de Economia Agrícola, instituição de pesquisa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

No mesmo período, o agronegócio apresentou queda nas exportações (-13,1%), atingindo US$ 13,99 bilhões, e elevação nas importações (+2,2%), somando US$ 4,15 bilhões, registrando um superávit de US$ 9,84 bilhões. Apesar da queda de 18,3%, em relação a 2017, o saldo das transações comerciais do agronegócio continua sendo fundamental para equilibrar as contas paulistas, afirmam José Alberto Angelo, Carlos Nabil Ghobril e Marli Mascarenhas Oliveira, pesquisadores do IEA.

No acumulado até outubro de 2018, os cinco principais grupos nas exportações do agronegócio foram: complexo sucroalcooleiro (US$ 4,37 bilhões), carnes (US$ 1,78 bilhão), complexo soja (US$ 1,70 bilhão), sucos (US$ 1,66 bilhão) e produtos florestais (US$ 1,49 bilhão). Esses cinco agregados representaram 78,7% das vendas externas setoriais paulistas. Destes, apenas o complexo sucroalcooleiro apresentou redução nas exportações (-40%); os demais apresentaram alta: carnes (+15,8%), complexo soja (+31,3%), sucos (+10,2%) e produtos florestais (+4,2%), explicam os pesquisadores.

Observando os resultados mensais, nota-se que houve uma redução de 6,3% nas exportações, no mês de outubro, quando comparado com o mês anterior. Tal oscilação resulta do menor embarque, em volume, dos três principais grupos: complexo sucroalcooleiro (-22,7%), carnes (-12%) e complexo soja (-53,7%). Em contrapartida, sucos e café aumentaram os volumes exportados em 78,6% e 34,7%, respectivamente.
A redução na exportação por parte do setor sucroenergético é devido a menor produção de açúcar, como o etanol está mais remunerador, o mix tem sido alcooleiro.Das 206 usinas de açúcar e álcool da região Centro-Sul do Brasil, 78 vão terminar a safra 2018/19 sem ter produzido, sequer, um quilo de açúcar.


Balança Comercial do Brasil

De janeiro a outubro de 2018, a balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 47,64 bilhões, com exportações de US$ 199,08 bilhões e importações de US$ 151,44 bilhões. No mesmo período, as exportações do agronegócio cresceram 3,6%, alcançando US$ 84,95 bilhões (42,7% do total nacional) e importações de US$ 11,73 bilhões. O superávit foi de US$ 73,22 bilhões, sendo 4,3% superior na comparação com o mesmo período do ano passado.

Os cinco principais grupos nas exportações do agronegócio brasileiro foram: complexo soja (US$ 36,27 bilhões), carnes (US$ 12,12 bilhões), produtos florestais (US$ 11,61 bilhões), complexo sucroalcooleiro (US$ 6,31 bilhões) e café (US$ 3,79 bilhões). Esses cinco grupos agregados representaram 82,5% das vendas externas setoriais brasileiras. Em relação ao agronegócio brasileiro, as exportações setoriais de São Paulo no período analisado representaram 16,5%, enquanto as importações representaram 35,4%.



Fonte: CanaOnline com informações de Nara Guimarães – Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de são Paulo
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •