Importância do trabalho da mulher para avanço do setor será destaque em evento
22-01-2019

Importância do trabalho da mulher para avanço do setor será destaque em evento
Importância do trabalho da mulher para avanço do setor será destaque em evento

Natalia Zanon, Gerente de Gestão de Desempenho, Qualidade Agroindustrial e Originação de cana da Cevasa, no VIII Encontro Cana Substantivo Feminino

As mulheres têm contribuído, de maneira significativa, para o avanço do processo de produção agroindustrial de unidades e grupos sucroenergéticos. Apesar de pouco numerosas – a presença é ainda menor em cargos de liderança –, elas se destacam pela qualificação e dedicação. As experiências de profissionais no setor e a necessidade de ampliação do espaço da mulher em usinas e destilarias são alguns temas que serão abordados no VIII Encontro Cana Substantivo Feminino, que acontecerá em 21 de março no Centro de Cana do IAC, em Ribeirão Preto, SP.

O painel “As mulheres dominam as máquinas” será uma das atrações da programação do evento – iniciativa do portal CanaOnline –, que contará com a participação da engenheira agrônoma Natalia Barboza Zanon, gerente de Gestão de Desempenho, Qualidade Agroindustrial e Originação de Cana da Cevasa, de Patrocínio Paulista, SP. Ele vai falar, entre outros assuntos, sobre a sua experiência como responsável pela implantação dos indicadores de desempenho nas áreas agrícola, industrial e administrativa da usina. Esses indicadores permitem o acompanhamento dos objetivos definidos para diferentes etapas dos processos de gestão e de produção agroindustrial.

A ideia é corrigir rotas e falhas visando elevar a eficiência para que sejam alcançadas as metas dos planejamentos tático e operacional, que devem estar conectados aos objetivos estratégicos da empresa – explica. Em relação à colheita de cana, por exemplo, a meta é sempre obter uma performance de acordo com o rendimento necessário para que seja conseguido o resultado previamente definido para a safra pelo planejamento estratégico.

Graduada em Engenharia Agronômica pela Unesp de Ilha Solteira, Natalia Zanon fez mestrado pela mesma universidade. A sua primeira experiência profissional foi um estágio na Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenergético (Ridesa), realizado da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Ela trabalhou também na Atvos (antiga Odebrecht) durante mais de cinco anos, atuando inclusive como coordenadora de planejamento e desenvolvimento agronômico no Polo Taquari (unidades Alto Taquari e Costa Rica). Desde 2016, está na Cevasa.

A trajetória profissional de Natalia Zanon no setor sucroenergético tem exigido a superação de desafios, principalmente por causa do preconceito em relação ao trabalho da mulher em cargos de liderança. A primeira função dela na Atvos foi a de supervisora na área de tratos culturais de cana, apesar de Natalia estar mais ligada a controle e qualidade na área agrícola.

“A equipe era formada por 21 integrantes, todos homens e mais velhos do que eu”, conta. Natalia Zanon conquistou a confiança do grupo e o resultado do trabalho foi muito positivo. “Houve melhora da performance, pois as metas definidas pela empresa não estavam sendo anteriormente atingidas”, observa.

No início do trabalho na Cevasa, ela enfrentou um pouco de resistência de produtores mais tradicionais da região. Essa dificuldade está também ficando para trás. A grande maioria desses fornecedores de cana para a usina já costumam procurá-la para solicitar apoio e orientação. Nessa área, Natalia Zanon trabalha com prospecção, negociação e controle de qualidade de matéria-prima.

“A presença feminina ainda não é tão expressiva em cargos de gerência em usinas. Mas, melhorou bastante em comparação ao período em que comecei a atuar no setor”, constata. Eventos voltados à atividade da mulher na agroindústria, como o Cana Substantivo Feminino, possibilitam “trazer um pouco do nosso olhar para o setor”, opina.

Além da atuação feminina no processo de produção agroindustrial, o Cana Substantivo Feminino vai abordar a participação das mulheres nas atividades de tratos culturais, na gestão de diferentes áreas da cadeia produtiva sucroenergética e no desenvolvimento de trabalhos científicos com foco no setor.

O evento é voltado para proprietárias de usinas, diretoras, superintendentes, gerentes, coordenadoras, engenheiras, administradoras de empresa, assistentes sociais, psicólogas, pesquisadoras, professoras, jornalistas, economistas, produtoras rurais, estudantes, operadoras de máquinas agrícolas, de colhedoras de cana, motorista de rodotrem, profissionais de venda, enfim, mulheres que atuam na agroindústria sucroenergética e no agronegócio.

A inscrição tem o valor de R$ 50,00 e a renda total com as inscrições será destinada ao Hospital de Amor de Barretos e para a Acesa Capuava - Associação Cultural Educacional Social e Assistencial Capuava – que atende pessoal com autismo.

Para se inscrever basta enviar um e-mail para luciana@canaonline.com.br
E informar nome, empresa, função e fone.
Veja a pré-programação do Encontro Cana Substantivo Feminino e outras informações sobre o evento no site www.canasubstantivofeminino.com.br

Fonte: Cana Substantivo Feminino