Inovações tecnológicas dão suporte para a retomada do crescimento do setorvoltar

Publicado em : 11/09/2018
Inovações tecnológicas dão suporte para a retomada do crescimento do setor
Dib Nunes Jr. Durante o 2º INOVACANA

Foi o que se confirmou no 2º INOVACANA - Seminário sobre Inovações Tecnológicas na Cana-de-Açúcar

“O setor sucroenergético está pronto para voltar a crescer,pois tem tecnologia de sobra para buscar grande aumento de produtividade com redução de custos”, afirmouDib Nunes Jr, presidente do Grupo IDEA, na abertura do 2º INOVACANA - Seminário sobre Inovações Tecnológicas na Cana-de-Açúcar –realizado pela empresa nos dias 4 e 5 de setembro em Ribeirão Preto, SP.

"Este é o mote principal do 2º INOVACANA. Apresentaremos aqui o que há de mais moderno em tecnologia sucroenergética. Ao final do evento, todos sairão com imensas possibilidades para modernização das empresas onde trabalham”, adiantou Dib. E ele tinha razão, o seminário foi um desfile de novidades tecnológicas e boas práticas de produção, algumas já revolucionam o processo produtivo do setor sucroenergético, outras estão em fase de testes ou em implantação, mas já apresentam grande potencial.

Os mais de 450 participantes conferiram casos de sucesso, como o mapeamento do solo por meio da condutividade elétrica aparente,que permite mapear os diferentes tipos de solo e ambientes de produção da lavoura com alta precisão e qualidade.

O 2º INOVACANAmostrou que o futuro já chegou nos canaviais, que não é mais surpresa o uso de softwares e drones com capacidade de gestão que pode chegar a mais de três milhõesde dados. Fatores como características e produtividade de cada variedade, falhas no canavial, suscetibilidade a pragas e doenças e o prejuízo de cada uma delas, alémda fertilidade e manejo de cada talhão, podem ser cruzados, analisados e estruturados em mais de 99 quatrilhões de combinações possíveis. Esses dados valiosos são transformados em informações e estratégias poderosas para que o produtor tenha uma visão ilimitada do canavial e de seus lucros.

Os benefícios da telemetria chamaram a atenção, é que a instalação de computadores de bordo nos tratores, colhedoras e plantadoras e o gerenciamento da frota possibilitam redução significativa de custos, pois otimizam o aproveitamento de veículos, equipamentos, operadores e motoristas, diminuindo o consumo de diesel, da logística de apoio às atividades no campo, e ainda levam ao aumento de moagem sem a necessidade de aumentar a frota.

A telemetria também permiteo melhor aproveitamento de fertilizantes, gerenciando as recomendações para aplicações específicas, conforme os conceitos da agricultura de precisão, possibilitando redução no desperdício de insumos, o que gera uma economia de milhares de reais no final da safra. E o uso do piloto automático – outro recurso da tecnologia de precisão – tem assegurado a qualidade do paralelismo entre os sulcos nas áreas de cana, reduzindo o pisoteio e aumentando a longevidade dos canaviais.

O plantio de cana, ainda um dos gargalos do setor, também foi tema de destaque no 2º INOVACANA, seus participantes ficaram sabendo que a Plantadora de Cana Picada - PCP 6000 Automatizada, da DMB Máquinas e Implementos, agora conta com um novo acessório o sulcadordesterroador, que permitemelhor perfilhamento da cana, o aprimoramento e o barateamento do preparo do solo.

E que até o final do ano, a Plantadora receberá a adição de um novo dispositivo que elevará a eficiência do plantio a um novo patamar. Uma adubadora de calcário será encaixada ao lado das já existentes e permitirá uma aplicação de 400kg a 700kg do corretivo por hectare.

Nesta safra marcada pela redução de produtividade, o 2º INOVACANA abriu espaço para o tema compactação do solo,que pode causar perdas entre 10% e 20% em toneladas de cana por hectare (TCH).Uma das práticas eficientes para a descompactação do solo é a canteirização, que pode proporcionar ganhos importantes, caso sejam adotadas as recomendações técnicas para a utilização desse sistema.Além do aumento da produtividade agrícola, a canteirização gera uma redução de custos no preparo do solo entre R$ 300,00 a R$ 500,00 por hectare.

A palha se tornou parte do canavial, assim, saber como manejá-la corretamente para aproveitar seus benefícios foi tema discutido no 2º INOVACANA. Pesquisas e estudos recentes demonstram que a matéria orgânica apresenta algumas vantagens em relação ao adubo mineral, possibilitando o aumento da produtividade agrícola e a melhoria da “saúde” do solo, além de proporcionar efeito benéfico ao meio ambiente devido à menor perda de nutrientes em decorrência da lixiviação.

Teve até lançamento de variedade de cana no 2º INOVACANA, trata-se da
Vertix 3, desenvolvida pela Granbio, que possui teor de fibra próximo de 20%, ART de 110 quilos por tonelada de cana por hectare e por entregar maior longevidade ao canavial.O material não floresce, brota excepcionalmente bem e se adapta a condições de ambientes desfavoráveis.

Em 24 de agosto, a Raízen e GEO Energética lançaram a pedra fundamental da usina de biogás, produzidos a partir da palha, bagaço e torta de filtro. E no dia 4 de setembro, a novidade já foi apresentada no 2º INOVACANA. A planta será instalada na Unidade Bonfim, localizada no município paulista de Guariba. O potencial de produção será de 138 mil MWh por ano. O projeto possui capacidade instalada de 21MW prevista para ser alcançada em até três anos.

Durante o evento aconteceu a segunda edição do Prêmio INOVACANA de Startups, promovido pelo Grupo IDEA em parceria com a BASF por meio do seu programa AgroStart. A grande vencedora deste ano foi a IDGeo, que apresentou um sistema/app de campo que mostra o vigor dos canaviais por meio da captação e transmissão online de imagens e um novo software para gestão do controle de mato em grandes lavouras.

Para abrilhantar ainda mais o 2º INOVACANA, o público foi presenteado com a palestra magna de uma das principais conferencistas do Brasil, a Dra. Martha Gabriel, que abordou o tema: “Cultura Corporativa: berço ou túmulo da Inovação?”. Se alguns dos presentes tinham dúvidas sobre a importância de investir, saber utilizar e aproveitar para lucrar com as inovações, após a palestra, elas desapareceram.

E o2º INOVACANA sediou o 1º EUDrone Cana-de-açúcar, que contou com a participação dos grupos Atvos e Tereos e as usinas Guaíra e Rio Vermelho (Glencane Bioenergia) que apresentaram seus cases de sucesso com o uso de drones e Vants em diversas etapas do processo de produção agrícola, detalhando os ganhos financeiros e de produtividade.

Ao longo dos dois dias, o 2º INOVACANA apresentou o que há de mais moderno em tecnologia sucroenergética. Ao final do evento, o público retornou para suas empresas com novas possibilidades para modernização das operações canavieiras.

 


Fonte: Assessoria
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •