Compartilhe:

Os grãos seduzem a Coplana, mas a Cooperativa não mede esforços para a obtenção da cana 4.0

José Antonio de Souza Rossato Júnior, presidente da Coplana – Cooperativa Agroindustrial, é entrevistado pela jornalista Luciana Paiva, da CanaOnline

A lavoura canavieira é complexa. Produzir grãos é mais tranquilo e mais rentável.

Vejamos o caso da soja: seu ciclo de produção, do plantio à colheita é em torno de 120 dias; sua implantação não exige o mesmo investimento que a cana; se os preços não estiverem compensadores, o grão pode ser armazenado a espera de um momento mais remunerador, a cana não dá para ser armazenar; o produtor de soja pode fixar a safra 2021, o produtor de cana não tem como fixar o preço da ATR; a soja tem comercio internacional, já a cana precisa ser entregue à usina, de preferência a mais próxima do canavial.

Essas vantagens dos grãos têm seduzido os produtores rurais. Um bom exemplo desse caso é a Coplana, que se tornou a maior produtora de amendoim do Brasil.

Mesmo assim, a Coplana não abandona a cana, e seu objetivo é aumentar a competitividade da lavoura canavieira, seu foco é a obtenção de canaviais digitalizados, projeta a cana 4.0.

Confira a entrevista com Rossato Jr: https://www.facebook.com/221708711305...