Períodos altamente chuvosos favorecem o aparecimento de doenças no Amendoim como mancha preta e mancha castanha
14-01-2020

Os sintomas da mancha preta são representados por lesões pretas circulares. Foto: Divulgação APTA
Os sintomas da mancha preta são representados por lesões pretas circulares. Foto: Divulgação APTA

O principal dano decorrente dessas doenças se refere à desfolha precoce das plantas, que causar 70% de quebra na produção

As cercosporioses, denominadas como mancha preta e mancha castanha, são as doenças mais favorecidas por períodos chuvosos, dias nublados, alta umidade e temperatura elevada. Neste caso, é importante reduzir o intervalo entre as aplicações para impedir que se instalem na lavoura.

Os sintomas da mancha preta aparecem de 10 a 14 dias após a infecção pelo patógeno e caracterizam-se pelo surgimento de lesões de coloração castanho-escuro na face superior dos folíolos, arredondadas e de diâmetro variável, ocasionalmente circundadas por um halo amarelado. As frutificações do fungo ocorrem na parte inferior dos folíolos e se apresentam como pequenos pontos escuros, distribuídos no centro das lesões, com coloração preta, característica que a diferencia da mancha castanha, notoriamente mais clara.

Dentro da cronologia do cultivo, a mancha preta surge de maneira mais tardia em relação a mancha castanha, porém, a curva de progresso da mancha preta é mais rápida e intensa. Essa doença é considerada como a mais importante para o cultivo do amendoim, pois tem a capacidade de disseminação bastante acelerada no campo e causa desfolha intensa da lavoura, interferindo no processo fotossintético. O dano é ainda maior caso a desfolha ocorra em até 90 dias após a semeadura, o que compromete a formação das vagens e o enchimento dos grãos.

Os sintomas da mancha castanha aparecem de 11 a 17 dias após a infecção pelo patógeno e caracterizam-se por manchas necróticas de formato circular e mais irregulares, tendo uma coloração mais clara e com halo amarelado mais nítido em relação a mancha preta. Para essa doença, é possível observar as frutificações do fungo na parte superior das folhas.

O principal dano decorrente de ambas as doenças se refere à desfolha precoce das plantas, diminuindo a taxa fotossintética e causando redução drástica na produção final (70% a menos caso a desfolha intensa ocorra antes dos 90 dias após a semeadura). A desfolha traz ainda alguns problemas, como o aumento da incidência de Murcha sclerotium e a possibilidade de apodrecimento das vagens e ginóforos caso haja um atraso na colheita das áreas.

A principal forma de disseminação dos esporos das cercosporioses é através do vento e dos respingos de chuva que, quando em ambiente favorável sobre a folha da planta, iniciam o processo de penetração e infecção da lavoura.

CanaOnline