Preços do etanol recuam em MG
22-06-2022

Até o final de maio, 14,5 milhões de t de cana já tinham sido esmagadas no Estado, ou seja, 21,4% da expectativa da safra | Crédito: Divulgação
Até o final de maio, 14,5 milhões de t de cana já tinham sido esmagadas no Estado, ou seja, 21,4% da expectativa da safra | Crédito: Divulgação

Com avanço da moagem de cana, valores do biocombustível estão mais competitivos, diz Siamig

Com o avanço da moagem de cana-de-açúcar em Minas Gerais, os preços do etanol hidratado estão recuando e tornando o biocombustível uma opção mais acessível para o consumidor frente à gasolina. Nas últimas quatro semanas, encerradas em 11 de junho, os preços ao consumidor já caíram 5,27%. A tendência é que o etanol mantenha a competitividade favorável frente à gasolina, já que a previsão é de uma safra 10% maior de etanol hidratado. 

Após o início tardio da safra, a moagem de cana vem ganhando ritmo. Conforme dados da Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig), até o final de maio, Minas Gerais já havia esmagado 14,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, volume que ainda está 12% menor que as 16,4 milhões de toneladas registradas no mesmo período do ano anterior.

O volume de 14,5 milhões de toneladas representa  21,4% da estimativa de 68 milhões de toneladas de cana a serem processadas na safra 2022/23.

De acordo com o presidente da Siamig, Mário Campos, neste ano, a safra de cana será mais alcooleira. O mix de produção está em 52% para o etanol e 48% para o açúcar. Com a maior produção do biocombustível, a tendência é de preços competitivos frente à gasolina. 

Em Minas, na safra 2022/23, a produção de etanol total será de 2,95 bilhões de litros, aumento de 5%. Entre os biocombustíveis, a maior produção será do etanol hidratado, 1,7 bilhão de litros, o que representa uma alta de 10% sobre a safra passada. A produção de etanol anidro ficará 2% inferior, somando 1,2 bilhão de litros.

“Este ano, a produção de etanol está maior e sendo puxada pelo hidratado. Vamos moer 4 milhões a mais de cana. Pelo viés mais voltado para o etanol hidratado, o produto precisa ser consumido e, para isso, precisa de uma relação de preços pró-consumo e mais competitivos que os da gasolina. Estamos vendo, em Minas, um mercado mais ofertado, o que faz com que os preços caiam”.

Em Minas Gerais, de acordo com os últimos dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP), nas últimas quatro semanas, encerradas em 11 de junho, o preço médio do biocombustível caiu 5,27%, saindo de uma média de R$ 5,39 por litro na semana de 15 a 21 de maio para R$ 5,12 na semana de 5 a 11 de junho. Em junho, em Belo Horizonte, vários postos já comercializam o biocombustível abaixo de R$ 5,00 por litro.

Recuperação

“Houve um atraso no início da safra, mas o setor está recuperando estes dias perdidos. Em maio, na segunda quinzena, a safra avançou bem e a moagem de cana superou em 4% o volume esmagado na segunda quinzena da safra passada. Estamos observando um aumento do consumo de etanol, independentemente dos preços da gasolina em alta, o preço do etanol já estava bem interessante para o consumidor. Em muitos postos, o valor do etanol está abaixo da relação de 70% frente à gasolina”.

De 1º de abril até o final de maio, já haviam sido produzidos 554 milhões de litros de etanol total no Estado, volume que ficou 9% menor que no mesmo período da safra anterior. Somente o hidratado representa 36% do mix de produção, o açúcar, 48%, e o anidro, 16%.

No período, a produção de açúcar chegou a 817 mil toneladas, 17% menor se comparada com o mesmo período da safra anterior.

Nas usinas, os preços também caíram. Em junho, de acordo com Campos, o índice semanal de preços do etanol hidratado apresentou queda de 2,35% na semana passada. O índice diário do mês acumula baixa de 1,67%. 

Fonte: Diário do Comércio