Primeiro híbrido flex do mundo será lançado no Brasil no fim do ano

Corolla europeu Foto: Divulgação

Expectativa é que o inédito motor - com capacidade de rodar com eletricidade, gasolina e etanol - seja lançado na nova geração do Corolla

Por: Marina Barbosa

O primeiro veículo híbrido flex do mundo será lançado no último trimestre deste ano no Brasil. A informação foi confirmada pelaToyota, que há mais de um ano roda o País testando um motor de combustão interna que difere dos outros propulsores híbridosporque, além de rodar com eletricidade e gasolina, aceitaetanol. E a expectativa é que a novidade comece a ser comercializada junto com a nova geração do Corolla.

“O modelo que será equipado com essa tecnologia será anunciado até o final deste ano”, anunciou a montadora japonesa, sem confirmar, contudo, qual o carro escolhido para estrear a novidade. A expectativa, porém, é que o motor híbrido flex seja lançado no Corolla - o sedã mais vendido do mundo. Afinal, apesar de ter sido testado no Prius, o novo propulsor será lançado na mesma época em que a Toyota promete apresentar a nova geração do Corolla no Brasil.

mesmo ano em que a Toyota confirmou o desenvolvimento e a produção local do híbrido flex e com o mesmo valor que a montadora prometeu aplicar na produção nacional de híbridos.

"O anúncio está em linha com o Programa Rota 2030, que oferece previsibilidade para as empresas investirem em pesquisa e desenvolvimento no longo prazo no País e estabelece, dentre outras medidas, novas políticas de estímulo a veículos mais eficientes”, limitou-se a dizer a montadora, destacando que “as equipes de engenharia da Toyota Motor Corporation e da Toyota do Brasiltrabalharam juntas no desenvolvimento da tecnologia híbrida flex”.

O que contribuiu para o desenvolvimento local foi o fato de que o Brasil é o criador e o maior produtor mundial de etanol. É por isso que os híbridos lançados até agora combinam a eletricidade apenas com a gasolina. Mas a Toyota já havia garantido que a combinação com etanol tem bons índices de eficiência e dirigibilidade em teste de longa duração.

No ano passado, a montadora ainda havia afirmado que, como o etanol é um combustível de fonte 100% renovável, o híbrido flexpossui baixíssimos níveis de emissões e uma enorme capacidade de reabsorção dos impactos do gás carbono. Essa compensação ocorre em toda a cadeia produtiva do etanol, da extração da cana-de-açúcar, até as bombas de abastecimento e a queima no processo de combustão do carro. Por isso, cálculos da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA) indicam que, ao usar obiocombustível, o veículo emitirá apenas um terço das emissões geradas pelos veículos elétricos que circulam na Europa e será, portanto, o “carro mais limpo do mundo” quando começar a ser comercializado no fim do ano.

 

Folha de Pernambuco