Seca, geadas e incêndios exigem maior cuidado com as soqueiras da cana para reduzir a quebra de produção das próximas safras
04-10-2021

Nematoides pode provocar até 50% de redução na produtividade do canavial e reduzir a longevidade
Nematoides pode provocar até 50% de redução na produtividade do canavial e reduzir a longevidade

Entre esses cuidados está o controle dos nematoides, presente em cerca de 70% das áreas de cultivo de cana e que podem provocar perdas de até 50% de produtividade

Os impactos negativos da seca prolongada, geadas e incêndios nos canaviais da região Centro-Sul não serão sentidos apenas na atual safra – que apresenta a expectativa de quebra entre 20 a 30% –, o setor sabe que os danos repercutirão por pelo menos mais duas safras. É que a socaria foi muito abalada. Outro problema, é que os viveiros de muda foram afetados, reduzindo a oferta de mudas de cana para a renovação de canaviais.

Com esse cenário de soca fragilizada e menos muda de cana, torna-se fundamental aprimorar o manejo da socaria, para reduzir a quebra de produtividade e dar sobrevida ao canavial. Um desses cuidados se dá por meio do controle de nematoides. Esse parasita está presente em cerca de 70% das áreas de cultivo de cana e, dependendo da espécie, pode causar perdas de até 50% da produtividade, prejudicando a longevidade da lavoura a ponto de exigir que ela seja renovada com maior frequência em áreas infestadas.

Os nematoides são invisíveis, mas os sintomas de seu ataque não: as plantas apresentam padrão de crescimento desigual, nanismo, perfilhamento bem menor.

Raízes da cana atacadas por nematoides

 Por isso, é extremamente importante que o setor sucroenergético pondere alguns manejos específicos para melhor controlar os nematoides, essencialmente na cana-soca.

Levantamento nematólogico é o ponto inicial para um bom controle de nematoides

O levantamento nematológico é a primeira medida a ser ponderada. Esse levantamento é imprescindível para adequar medidas de controle ou manejos eficientes. O levantamento inclui a coleta de amostras de raízes e de solo, com posterior envio para análise em laboratório.

A coleta de amostras deve ser feita sempre em época chuvosa, sendo cada amostra composta por raízes e solo da rizosfera de pelo menos 10 touceiras de cana por talhão homogêneo de até 10 ha.

A identificação das espécies e os níveis populacionais devem ser quantificados nas amostras e interpretados, o que consiste em definir se as populações encontradas na área são baixas ou altas, o que implica em estabelecer se há ou não a necessidade de adotar medidas de controle na área amostrada.

Adubações orgânicas com vinhaça e torta de Filtro e rotação com crotalária nas áreas de reforma contribuem para o controle de nematoides, porém, dependendo do grau da infestação, é necessário entrar com controle por meio de nematicidas químicos.

Nematicidas químicos apresentam benefícios no controle de nematoides em cana-planta e em cana-soca

O uso de nematicidas químicos no plantio de cana-de-açúcar, em áreas infestadas por nematoides, tem sido bastante comum nos últimos anos, devido aos incrementos de produtividade que esse manejo pode proporcionar.

Já em soqueiras, o aumento de produtividade decorrente do controle químico de nematoides sempre foi menor quando comparado com a cana-planta, o que desestimula muitos produtores. Porém, este conceito já começa a mudar!

Muitos estudos já comprovam a importância do controle de nematoides também em soqueira, gerando um canavial mais desenvolvido e com uma maior quantidade de perfilhos, principalmente quando há o uso de um nematicida mais moderno e eficaz neste período.

Uso de nematicidas em soqueiras contribui para incrementos de produtividade de 10% a 25%

Nas soqueiras, os nematicidas são aplicados em corte, ao lado das linhas de cana ou sobre elas, contribuindo para incrementos de produtividade de 10% a 25%, com isso, a receita por talhão tende a aumentar quando há o correto controle de nematoides também na cana soca.

 A conquista de resultados mais expressivos no controle de nematoides na cana, em áreas infestadas, depende da aplicação de nematicidas de forma sequencial, ou seja, na cana-planta e na cana-soca em até três safras.

OS CANAVIAIS GANHAM UM REFORÇO DE PESO CONTRA OS NEMATOIDES - O NEMATICIDA POTTENTE MAX

Segundo especialistas na área, o desenvolvimento de novas moléculas, de nematicidas mais avançados, contribuem muito para o controle eficaz dos nematoides. É o caso do Pottente Max, da IHARA, um nematicida utilizado em época úmida, pois os nematoides estão na fase juvenil, de acordo com o ciclo de desenvolvimento. Na época seca, os nematoides predominantemente estão na fase de ovos, caracterizada como uma estrutura de resistência, dificultando o controle.

Profissionais da Ihara lembram que Pottente Max é recomendado para Plantio sem restrição. Já em Cana-soca deve ser observado o estande do canavial, assim como seu potencial produtivo, já que nenhum nematicida tem potencial de recuperar o estande se este já estiver comprometido pelo ataque de nematoides. Por isso, consultar um agrônomo da IHARA é bastante recomendado.

 

Demais atributos e benefícios do Pottente Max, da IHARAAlém de contribuir com o controle de nematoides e elevar a produtividade quando aplicado em cana planta e cana soca, o Pottente Max apresenta muitos outros atributos e benefícios que estimulam sua adoção em canaviais.

Dentre os benefícios principais vale citar:

  • Baixa solubilidade, alta lipofilicidade e meia vida de 180 dias, indicando maior residual;
  • Adsorvido e liberado com a presença de água, podendo ser aplicado também no período seco;
  • Controle eficaz e crescimento de planta saudável, contribuindo com maior desenvolvimento do sistema radicular;
  • Máxima eficácia no controle de Meloidogyne Pratylenchus spp., considerados dois dos nematoides mais expressivos em canaviais;
  • Canavial tratado tem condições de expressar todo seu POTTENCIALprodutivo, elevando a produtividade e a lucratividade dos talhões tratados.

O uso do nematicida Pottente Max na cana-soca é uma excelente estratégia de manejo, pois permite maior proteção por mais tempo, trazendo maior produtividade também na soqueira.

Fonte: CanaOnline