Usineiros indianos pedem preço mais alto de açúcar para quitar dívidas com canavieiros

Usineiros indianos pedem preço mais alto de açúcar para quitar dívidas com canavieiros

De acordo com fontes ligadas ao mercado, as usinas de açúcar na Índia estão pedindo ao governo que aumente o preço de referência da commodity para ajudá-las a pagar cerca de US$ 2,7 bilhões aos agricultores.

A Indian Sugar Mills Association (Isma) enviou uma carta ao governo pedindo que o preço mínimo de venda por quilo seja aumentado das atuais 29 rúpias para um valor de 35 a 36 rúpias (US$ 0,49 a US$ 0,51) nas fábricas, ajudando as usinas a melhorar seu fluxo de caixa. Abinash Verma, diretor geral da associação, não pôde ser contatado imediatamente para um comentário.

Os estoques de açúcar na Índia, que deve se tornar o maior produtor mundial da commodity, quase dobraram, chegando a 15,4 milhões de toneladas em 31 de dezembro de 2017, de acordo com dados da Isma. Preços locais mais elevados farão com que as usinas vendam mais no mercado interno e potencialmente reduzam as exportações, dando suporte aos preços globais. As usinas também estão sob pressão, uma vez que os produtores de cana em busca de pagamentos únicos dos processadores realizaram protestos violentos no início deste mês.

As usinas indianas deviam cerca de 190 bilhões de rúpias aos agricultores até 31 de dezembro de 2018. A taxa pode subir para até 350 bilhões de rúpias se o fluxo de caixa não melhorar, disse a fonte consultada pela Bloomberg.

A batalha

As usinas têm lutado para compensar os pagamentos pendentes, já que seu custo de produção é maior do que o preço de venda estabelecido pelo governo, de acordo com o documento que a Bloomberg teve acesso. Um aumento no preço de referência não apenas melhorará as receitas das usinas, mas também aumentará o valor de seus estoques, o que pode levar os bancos a aumentar os empréstimos para usinas de açúcar e aumentar os fluxos de caixa em 200 bilhões de rúpias nos próximos três meses.

Sobre as exportações, o governo deveria penalizar as usinas se elas não exportarem açúcar de acordo com a cota do governo. Os embarques de açúcar do país podem totalizar de 3 a 3,5 milhões de toneladas em 2018/19, segundo o grupo de usineiros, menor que a quota do governo para 5 milhões de toneladas.

As usinas se comprometeram a embarcar cerca de 1,4 milhão de toneladas de açúcar até agora em 2018/19 para países como Bangladesh e para a região do Oriente Médio, segundo Adhir Jha, diretor executivo da Indian Sugar Exim Corp.

Fonte: Bloomberg