Veículos flex terão muito a ganhar com o programa Rota 2030 regulamentado pelo presidente Temervoltar

Publicado em : 09/11/2018
Veículos flex terão muito a ganhar com o programa Rota 2030 regulamentado pelo presidente Temer
Temer participou de abertura do Salão do Automóvel 2018, em São Paulo - Foto: Cesar Itiberê/PR

Serão valorizados os motores que apresentem maior eficiência energética e redução de emissões com o uso do biocombustível

Ao participar nesta quinta-feira (8) da abertura do Salão do Automóvel, o presidente da República, Michel Temer, comemorou a aprovação, pelo Congresso Nacional, do programa Rota 2030, que prevê um novo regime de incentivos à indústria automotiva. Na ocasião, o presidente também assinou um decreto que regulamenta regras e diretrizes do programa.

Durante o evento, o presidente atribuiu a aprovação da medida à harmonia entre o poder público e a iniciativa privada. Para ele, a medida vai resultar em ganhos para o setor de automóveis e para a sociedade, já que o programa prevê investimentos, pelas montadoras, em pesquisa e inovação.

“Deve-se a essa conjugação entre o setor produtivo e o Congresso Nacional, naturalmente por nosso intermédio [do Executivo], esta vitória”, disse o presidente. “Sem o Rota 2030 já houve avanço tecnológico; com ele, o avanço será muito maior”, avaliou.

Estímulos
Aprovado pela Câmara dos Deputados e, nesta quinta-feira (8), pelo Senado Federal, o programa Rota 2030 prevê a redução de tributos para o setor automotivo diante do cumprimento de contrapartidas que gerem mais investimentos em produtos e inovação.

Uma das medidas mais importantes instituídas pelo texto é a concessão de até R$ 1,5 bilhão em créditos tributários a empresas que investirem ao menos R$ 5 bilhões em projetos de pesquisa e desenvolvimento.

A criação de um novo regime que organize investimentos e o regime tributário para a indústria automobilística é uma demanda antiga do setor, que voltou a crescer diante da retomada da economia nos últimos dois anos.

De acordo com a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) a aprovação da MP do Rota 2030 na Câmara dos Deputados trouxe um dispositivo importante: a emenda que trata de incentivo a veículos leves mais eficientes movidos a etanol, como o híbrido flex. Isso significa que esses modelos terão redução de três pontos percentuais de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) em relação aos de combustão flex.

A UNICA acompanhou de perto o desenvolvimento do Programa, participando, inclusive, de grupos de trabalho técnicos. Essa emenda foi desenvolvida e sugerida pelo setor sucroenergético em linha com as demandas do setor automotivo, para que sejam valorizados os motores que apresentem maior eficiência energética e redução de emissões com o uso do biocombustível.

"Os motores flex têm muito a ganhar em eficiência e o Rota 2030 reconhece os investimentos em P&D que tem sido feito e que viabilizarão ainda mais o etanol", conclui Elizabeth Farina, presidente da UNICA.

 


Fonte: CanaOnline
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •