A operadora Sirlene Ferreira dos Santos foi quem mais colheu cana no período 2017/18 na Unidade Conquista do Pontal, da Atvos

A operadora Sirlene Ferreira dos Santos foi quem mais colheu cana no período 2017/18 na Unidade Conquista do Pontal, da Atvos

Em 2010 foi admitida como Operadora Júnior

Natural do Paraná, Sirlene chegou em Teodoro Sampaio (SP) ainda adolescente. Antes de entrar para a Unidade Conquista do Pontal (Polo São Paulo – Teodoro Sampaio), da Atvos, ela e o marido trabalhavam na horta particular que cultivavam no próprio sítio. Viviam da renda da agricultura familiar. Por ter contato com plantio e colheita, sabia um pouco de operação de máquinas, mas quando soube de uma vaga na Atvos como Operadora de Trator da colheita mecanizada logo quis se candidatar. Em 2010 foi admitida como Operadora Júnior. Passou pelos cursos de capacitação para operar as máquinas agrícolas. Se profissionalizou e desde então é um destaque da Unidade Conquista do Pontal.

Atualmente com 36 anos, Sirlene fala com orgulho da sua trajetória profissional na empresa. “Sou muito feliz e agradecida pelas oportunidades que a empresa me deu. Minha filha hoje tem 13 anos e sonha em fazer faculdade de agronomia. Eu incentivo muito, pois sei o quanto essa área foi importante pra mim”, diz. Sirlene foi destaque da Safra 2017/2018 como a Operadora que mais colheu cana no período. “São oito anos de empresa e dessa vez com esse reconhecimento. Estou muito feliz e vou começar a próxima safra ainda mais motivada”, completa. Sirlene ainda divide a rotina de mãe e profissional com os estudos. Ela é estudante de pedagogia e está no 3º ano.

Sobre a Atvos

A Atvos fomenta a presença feminina em todas as áreas de suas operações – agrícola, indústria, manutenção, planejamento e qualidade, laboratório, SSMA (Saúde, Segurança e Meio Ambiente) e administrativo. A inclusão de mulheres está presente na agenda permanente de debate e ações da empresa. Apenas no Polo São Paulo, são cerca de 220 mulheres em todas as funções e atividades.

A empresa trabalha para aumentar cada vez mais o número de mulheres nas equipes e investe em programas institucionais de capacitação e relacionamento com a comunidade, como o Acreditar e o Acreditar Jr., que reforçam este compromisso. Cursos de Mecânico de Manutenção de Máquinas Agrícolas, Operador de Máquinas Agrícolas e Operador de Manutenção Eletromecânica, por exemplo, têm tido presença equilibrada de participantes homens e mulheres.

Como parte de seu compromisso com o desenvolvimento das cidades em que atua, a Atvos apoia ações de empoderamentofeminino local. Por meio de seu programa de investimento socioambiental, Energia Social, a empresa investiu na criação da Casa AMAS, em Mirante do Paranapanema (SP), que estimula a inserção de mulheres de 18 a 65 anos em atividades produtivas. A iniciativa promove a integração social e a geração de renda de 40 famílias da região e proporciona um espaço de apoio à saúde, ao lazer, à qualificação profissional e às atividades físicas, além de incentivar a geração de renda com a venda de alimentos regionais típicos, produzidos a partir dos produtos cultivados no próprio assentamento.

A Atvos atua de forma integrada na produção de etanol, açúcar e energia elétrica. Com investimento de mais de R$ 12 bilhões, a empresa tem capacidade de produzir 3 bilhões de litros de etanol, 700 mil toneladas de açúcar e 3,1 mil GWh/ano de energia elétrica a partir da cana-de-açúcar. Consolida seis polos produtivos, localizados nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás.


Fonte: Atvos

  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • CAPTCHA Image
    Refresh Image